Descubra o que são e como podem ser classificados

Última atualização: 16/02/2024Por

Commodities são um dos maiores e mais valiosos bens que poderiam ser comercializados em um âmbito global. São responsáveis, não somente por cuidar da alimentação de bilhões de pessoas, como também por mover investimentos que ultrapassam fronteiras geopolíticas na mesma proporção.
Contudo, boa parte das pessoas – incluindo aquelas que são da área agrícola – tem dificuldade na hora de definir o que realmente são as commodities e como essas são divididas em seus mais diversos mercados. Assim, este texto serve para:

  •  Ajudar a entender um pouco melhor o que são commodities
  • Quais as características das commodities
  • Como são classificados

Commodities – Muito mais que simples bens de consumo
As commodities, hoje comercializadas em pequena e em larga escala, começaram a ser disponibilizadas para troca desde o início da civilização. De fato, podem ser encontrados registros arcaicos, datados de 4.500 A.C na Suméria.
Porém, a palavra commodity – que posteriormente sofreu uma adaptação para a língua portuguesa ao ser escrita Commoditie – é um termo de origem anglo-saxã que significa literalmente “bem”, “produto” ou “mercadoria”.
Basicamente, essa nomenclatura indica uma espécie de bem, ou conjunto de bens, primários, que são comercializados em um mercado financeiro, com determinado rigor econômico e classificatório envolvido.
Características dos Commodities
As commodities possuem, como sua principal diferença para com as matérias primas, um valor unitário definido como preço-base, enquanto que as matérias primas não possuem sequer um rigor econômico pré-estabelecido. Algumas das características principais das commodities são:
Tudo Igual: Para que um produto seja considerado uma commodity, ele precisa ter um padrão único de produção. E outras palavras, ele não possui nenhum tipo de diferenciação de qualidade – como marcas, por exemplo. Ou seja, a soja produzida na Bahia, é a mesma produzida no Mato Grosso, sem diferença nenhuma.
Do jeito que veio ao mundo… ou quaseOutra característica principal de uma commodity, é que ela sempre será um produto que continuou “In Natura”, ou seja, que não sofreu nenhum tipo de processamento ou processo de industrialização. Produtos que sofreram um processamento mínimo também podem ser considerados commodities, pois a força de uma marca ou de um diferenciador não agregaria valor nenhum, caso comercializados daquela maneira.
Na prática, e voltando para a soja, ela é um commodity por ser colhida e vendida a fábrica igualzinho como saiu da terra. O óleo de soja – feito de esmagar o grão e extrair o óleo – também é um commodity por ter um mínimo de processamento envolvido, porém o leite de soja – mais processado e industrializado com uma marca e outros tipos de matérias inseridas no produto – já não é um commodity.
Oferta x Procura: As commodities, assim como tudo dentro de uma sociedade capitalista, estão sujeitas a lei da Oferta e da Procura. Quando muitas pessoas querem um produto e quase ninguém o oferece para venda, esse produto sofre uma oscilação de preço.
Contudo, diferente de outros produtos processados, as commodities além de virem in natura também são produzidas em larga escala – ou seja, em quantidades maciças – para que assim, possam atingir um mercado global.
Feliz Aniversário!: As commodities possuem uma durabilidade alta se comparados a outros produtos e principalmente a matérias primas de mesma origem. Um exemplo é a soja em comparação com o tomate.
Um tomate, mesmo produzido em larga escala (não tão larga quanto a da soja) e vendido as fábricas in natura, não tem um prazo de validade muito grande. Ao contrário de uma soja ou um algodão, que podem ser estocados por muito tempo até que comecem a apodrecer.
Take my Money!: Um dos mais importantes pontos sobre commodities é onde elas são comercializadas. Sem esse ambiente não seria possível a movimentação de tamanha produção agrícola, e esse lugar é a bolsa de valores.
Para um commodity ser um commodity, ele precisa – além de todas as características acima, e que não são poucas – estar na bolsa, onde basicamente todas as negociações desse tipo de produto são feitas.
Classificação dos Commodities
As commodities possuem diversas origens e é complicado definir uma classificação fixa para tantos tipos de bens. Algumas organizações internacionais, tais como a United Nations Conference on Trade and Development (UNCTAD) trabalham com uma hierarquia de commodities pelo tipo de comercialização que são feitos.
Países, como os Estados Unidos da América (EUA), trabalham a princípio com quatro tipos de macro categorias, as quais são: Commodities Agrícolas, de Pecuária, de metais preciosos e de Energia.
No Brasil, as categorias mais adotadas são, de acordo com Luiz Carlos Bresser Pereira e Nelson Marconi – ambos especialistas e professores da Fundação Getúlio Vargas – no artigo “Existe Doença Holandesa no Brasil?”: “As commodities estão subdivididas em agrícolas, minerais e industrializadas decorrentes da atividade agrícola ou da extração mineral.”
De todo modo, a maior parte das commodities brasileiras são da divisão agrícola, e todas essas categorias se renovam e se reinventam dependendo do país, região, ou mercado em que estão inseridas.
Já pensando no futuro, algumas classificações colocam os commodities em quatro categorias, como na tabela abaixo:

NOTÍCIAS RELACIONADAS