A CAEP transforma vidas com Adhemar Oliveira!

Nesta edição do CAEP transforma vidas, temos o prazer de apresentar o Adhemar Oliveira, que há 30 anos foi intercambista CAEP e hoje é Gerente de Tecnologia e Qualidade de Aplicação no Seedcare Institute LATAM da Syngenta.

É muito gratificante ter participado de uma parte tão importante dessa trajetória inspiradora de transformação de vida.

Vamos deixar para que ele nos conte um pouco sobre sua história de transformação!

 

1-Adhemar conte para os leitores da CAEP News, qual sua função hoje na Syngenta.

Hoje sou responsável pelo Lab de Tecnologia de aplicação (CTA Centro de Tecnologia de aplicação). Basicamente desenvolvo e valido tudo que é relacionado com máquinas de TS e receitas. Receitas seria relacionado a misturas de
componentes nas caldas de tratamento, ex. produtos químicos, polímeros, micronutrientes, produtos biológicos, enraizadores, pó secantes e agentes lubrificantes como o grafite.

2-Você acredita que ter feito intercâmbio impactou na sua carreira?

A CAEP é um divisor de águas na minha carreira – SEM CAEP – eu seria um bom profissional, mas sem diferenciais. COM CAEP – pude me diferenciar dos demais bons profissionais, com vivência em uma agricultora importante e de primeiro mundo, melhorando minhas habilidades técnicas. Ter uma experiência em uma outra cultura, trabalhar com pessoas, experimentar o novo e os desafios de uma vivência sozinho. E claro aprender, e aperfeiçoar a língua inglesa.

3-Na sua visão como gestor de multinacional, qual diferencial a experiência internacional trás para os jovens estudantes?

Ter uma experiência fora do seu país, fora do ambiente que você domina é VITAL para enfrentar o novo, o desconhecido. É uma chance real do estudante pensar diferente, buscar alternativas, ter que se renovar, pensar fora da caixa e principalmente INICIATIVA. Melhorar a ORGANIZAÇÃO, sua como pessoas, na sua agenda diária e atividades a curto e longo prazo. Esse estudante com certeza nessa vivência, vai passar por momentos desafiadores e difíceis que terá que tomar decisões e gerenciar os desdobramentos dessas escolhas. Viver fora de casa é bom, longe da segurança da família. Mas morar fora de casa, em outro país, cultura e língua diferente, é uma experiência mais intensa ainda. Passar por situações boas e ruins ajudam a amadurecer, ter senso de responsabilidade e senso crítico.

4- Esta sessão chama-se Transformando Vidas, nossa pergunta é: Como o intercambio e sua vivência internacional transformou a sua vida?

Primeiramente, fazer intercâmbio a mais de 30 anos atrás é muito diferente de fazer hoje. Celular e internet tornaram tudo mais fácil. Basicamente o intercâmbio transformou minha vida, em me sentir mais seguro e gerenciar na minha cabeça os meus medos.
Tudo era novo:
– Uso de equipamentos (tratores e implementos) muito mais tecnológicos dos que eu tinha vivido no BR;
– Técnicas agronômicas (tropical X Temperado) – doenças e pragas;
– Língua, conseguir se comunicar e me fazer entender/aprender.
Mas teve uma passagem que me marcou profundamente. No meu segundo dia de trabalho, arando um talão com meu CASE Pneu Duplado de 175 CVs com uma grade controle remoto de 52 discos, em um erro de avaliação de distância e pela baixa experiência nesse tipo de operação, eu derrubei 3 m de cerca e o palanque entrou no meio desse rodado duplo. Imagina meu desespero e desconforto/MEDO do acidente que provoquei. Pois bem, chamei meu pai Americano no rádio, ele veio ver a situação, chamou mais 2 ajudantes, desmontamos o Rodado, tiramos o palanque do Rodado, puxamos o cerca com arame farpado para o lado e ele me disse: “Pode continuar a trabalhar”. Respondi para ele: “E a Cerca?” Ele disse: “Fica tranquilo, isso só aconteceu porque você estava trabalhando e agora sei que você vai ter mais cuidado na operação. Depois do plantio você vem aqui e arruma essa cerca.” Três meses depois eu estava lá arrumando a cerca, mas aprendi que só erra quem faz e quando erra você aprende, e depois de aprender você não erra mais.

5-E na sua vida enquanto profissional do Agro? Quais foram as transformações que a viagens de conhecimento internacionais te proporcionaram?

Trabalhei numa “Seedcorn Cia” e quando voltei para o Brasil entrei em uma empresa de venda de sementes de milho. Depois do intercâmbio e principalmente nos anos seguintes, meu nível para discutir e conversar com os agricultores (meus clientes) era num nível muito mais alto, quando comparado com outros agrônomos. Logo eu tinha muitos argumentos para explicar e argumentar sobre os aspectos de produção/produtividade em milho. Com isso, com os clientes que trabalhava, tinha segurança em recomendar e argumentar na cultura do milho. E claro, isso fez com que eu me destacasse na equipe, e em performance e números de vendas. Comecei já no início da minha vida profissional ser uma referência técnica.

6-Você já chegou a fechar negócios ou parcerias durante uma viagem internacional com clientes? 

Não fechei nenhuma parceria com outras Cias do USA.

7-Com base na sua experiência com as viagens de conhecimento, o que é mais valioso: as amizades que se formam nos grupos, a quantidade de informações aprendidas ou os negócios gerados após o retorno?

O que foi mais valioso foi: O AUTOCONHECIMENTO. Me certificar e provar para todos, mas principalmente para mim, meu valor como profissional. As amizades construídas nessa época da vida também são legais, até hoje depois de mais de 30 anos tenho contato com os 4 profissionais que foram comigo aos USA.

8-Quando você escuta CAEP, o que vem a sua cabeça? Por quê?

Uma oportunidade IMPAR para jovens estudantes de agronomia poderem se diferenciar no Mercado do AGRO. Uma oportunidade de AUTO Crescimento e provar para você mesmo seu valor. Troca de experiências técnicas (conhecimentos agronômicos) entre realidade Brasil e outro país. Conhecer outra cultura, outros valores outras formas de ver solução dos mesmos problemas que temos aqui no Brasil. Além de aprender e aperfeiçoar a língua Inglesa.

9-Te convidamos a deixar aqui um breve depoimento sobre sua experiência com a CAEP, ou um recado para nossos jovens estudantes do agro que lerão essa matéria no CAEP News.

Tenho uma única mensagem: não tenha medo de arriscar e ir para um intercâmbio internacional, SIMPLISMENTE VÁ! Esqueça os, MAS… Mas não sei qual área eu devo focar – VÁ – se tiver clara a área ótima, mas se não tiver VÁ para fazenda de Soja/milho ou até GreenHouse mas VÁ. Mas não tenho Inglês – VÁ – você vai entender que se comunicar é mais do que falar uma língua diferente da sua. Mas terei que trancar a universidade – VÁ – isso vai abrir sua cabeça e mais perspectivas. Mas acabai de me formar e tenho algumas opções de trabalho – VÁ – porque quando você voltar, terá ainda mais opções de trabalho. Mas a namorado/namorado – VÁ – hoje o celular ajuda muito a minimizar a saudade, além de te preparar para uma vida adulta, mais organizada e mais madura. Mas o custo dinheiro – VÁ – pegue dinheiro emprestado do PAI/MÃE/TIO/TIA/AVÔS, pode ter certeza, quando você voltar, terá oportunidade de negócios e empregabilidade que muito em breve com FOCO, você vai poder pagar esse investimento que eles fizeram em você.

Histórias como a do Adhemar nos inspiram a continuar nossa missão de ampliar a educação internacional no Brasil. Agradecemos o Adhemar por essa valiosa contribuição.

A CAEP transforma vidas com Rafaela Maciel!

Neste mês realizamos uma entrevista com a Rafaela Maciel, que está neste momento realizando o intercâmbio nos Estados Unidos. Falamos sobre como está sendo a experiência, os aprendizados e suas expectativas. 

Vamos deixar que ela mesmo nos conte sobre a sua história de transformação!

1-Conte-nos um pouco da sua história Rafaela.

Sou a Rafaela Maciel, tenho 24 anos de idade. No Brasil eu moro em uma cidade chamada Franco da Rocha em São Paulo. Meu maior sonho é transformar a agricultura a fim de torná-la mais eficiente e sustentável. Sempre amei agronomia, estou nessa área desde os 14 anos. Quando estava no ensino médio, fiz um curso técnico em agropecuária por 3 anos, e logo depois iniciei minha graduação em agronomia. Atualmente além do intercâmbio, faço MBA em agronegócio on-line

2-Qual sua função atual no estágio agrícola?

Minha função hoje é ajudar em todas as atividades do dia a dia da empresa, desde atividades mais simples como limpar silos, pequenos reparos em tratores e equipamentos agrícolas, até entrega de insumos, tratamento de sementes e inserir pedidos blends de fertilizantes no software da empresa. Resumindo, faço de tudo um pouco.

3-Como está sendo viver essa experiência?

Está sendo ótima! Desde quando entrei na graduação de agronomia queria fazer intercâmbio, por muito tempo fiquei insegura se daria certo, se eu teria capacidade de me comunicar em inglês, se as pessoas seriam acolhedoras. Hoje me sinto supersegura onde estou, cada dia aprendo algo novo e tenho me comunicado muito bem!

4-Na sua visão, qual aprendizado/experiência anterior está sendo mais indispensável para seu estágio?

Sem dúvidas a experiência que tive no campo no Brasil, entender como funciona as coisas dentro de uma fazenda me ajuda muito nas atividades que realizo hoje no estágio.

5-Qual maior desafio que já enfrentou por aí?

No meu caso o maior desafio sem dúvidas é o inglês. Por conta do vocabulário agro, as atividades em si são desafios, porém minhas experiências anteriores ajudaram muito. Mas todo os dias surgem novos desafios!

6-E qual maior conquista? Memória que não vai esquecer?

Maior conquista me formar em agronomia, momento que nunca vou esquecer quando informaram a nota 10 do TCC.

Histórias como a da Rafaela nos inspiram a continuar nossa missão de ampliar a educação internacional no Brasil. Agradecemos a Rafaela por essa valiosa contribuição

My Farm Experience 2022: uma experiência internacional exclusiva CAEP no universo tecnológico da agricultura americana!

O My Farm Experience é um roteiro muito especial, exclusivo da CAEP, que proporciona a grande experiência de conhecer o modelo de Agronegócio mais forte do mundo: meio-oeste dos Estados Unidos, conhecido também como “Corn Belt” ou cinturão do milho.

Os participantes terão a oportunidade de fazer uma fazer uma introdução à Agricultura Americana em uma fazenda familiar robotizada, além de fazer uma visita à fazenda de soja e milho, de alta performance e produtividade, agricultura de precisão e com processo de sucessão familiar e a uma fazenda de grãos com produção de whisky à base de milho.

E não para por aí! O ponto alto da viagem é a visita a Farm Progress Show, a maior feira dinâmica de tecnologia agrícola do mundo. Por mais de 50 anos, a feira conectou agricultores de todo o mundo com as principais empresas agrícolas. Segundo os últimos dados divulgados, cerca de 86% dos participantes do evento são proprietários/operadores de fazendas e 96% estão envolvidos na agricultura.

Neste ano, a feira acontecerá entre os dias 30 de agosto e 01 de setembro de 2022, em Boone, Iowa. Serão mais de 800 acres de área de demonstrações de campo, com equipamentos de semeadura, cultivo, colheita e agricultura de precisão, operando simultaneamente. Em exposição estarão grandes fabricantes de equipamentos, sementes e defensivos agrícolas, instituições de ensino. Essa é uma grande oportunidade de conferir as novidades de todos os segmentos da agricultura e pecuária, principalmente no que diz respeito à tecnologia, que sempre surpreende os visitantes da feira.

Os momentos de lazer também estão garantidos! No roteiro exclusivo da CAEP temos um city tour em Chicago, incluindo Boat Tour e 360 Hancock Observatory, e ainda uma tarde de compras em Outlets e na BassPro Shop – uma das lojas mais famosas de caça e pesca americana.

Agora é hora de tirar dúvidas! Confira as perguntas que mais recebemos por aqui:

1. Para quem é o My Farm Experience?

O My Farm Experience é ideal para quem é empresário, produtor rural, fazendeiro ou é um profissional com interesse em novas tecnologias no Agro. Então se você é nosso seguidor aqui, a resposta é sim, nosso My Farm é para especialmente você!

Esse nosso roteiro exclusivo proporciona a grande experiência de conhecer o modelo de Agronegócio mais forte do mundo: meio-oeste dos Estados Unidos, conhecido também como “Corn Belt” ou cinturão do milho. Quem viaja com a CAEP tem a oportunidade de visitar as organizações de base que trabalham nos EUA para melhorar e fortalecer a vida dos americanos rurais. E tem mais! Os participantes irão conferir de perto as novidades da maior feira dinâmica de tecnologia agrícola no mundo: a Farm Progress Show.

2. Por que conhecer a Farm Progress Show é o desejo de todo agricultor brasileiro?

Pois estamos falando da a maior feira dinâmica de tecnologia agrícola do mundo! Um evento grandioso, repleto de inovação e lançamentos de última geração.

Já pensou em quanto aprendizado dá para trazer na bagagem? Os profissionais do Agro que irão vivenciar essa experiência grandiosa poderão criar ou estreitar relacionamento, se inspirar para novos negócios, além de fazer uma imersão tecnológica e conhecer as últimas tendências do Agro.

E não podemos esquecer do networking valioso com profissionais do segmento e da incorporação de novas práticas de gestão. Essa é uma grande oportunidade de desenvolvimento pessoal e profissional.

3. My Farm Experience é garantia de networking?

Um dos muitos benefícios de viver essa experiência transformadora, e que vai ficar marcada na sua memória por muitos anos, é o networking valioso que será conquistado ao longo da viagem.

Você terá uma intensa troca de conhecimento com profissionais de diversos segmentos do Agro, e ainda, poderá conhecer pessoas do mundo todo que estarão em busca do mesmo objetivo: conhecer as últimas tendências do Agro mundial para inovar no seu negócio! Acredite! Vivenciar um roteiro como este não tem preço!

Estamos fechando a lista de participantes de 2022, corra que ainda dá tempo de embarcar com o grupo já confirmado de 2022. Fale agora com os nossos especialistas.

4. Onde conheço mais detalhes sobre o roteiro, datas e destino?

Você pode acessar nossa página da experiência, aqui mesmo no site da CAEP, clicando aqui.

5. Por que ir para os Estados Unidos com a CAEP é um sonho de muitos?

Por alguns bons motivos! Além de ser a empresa líder em viagens técnicas no agronegócio, a CAEP tem mais de 20 anos no mercado o que confere ao nosso passageiro a segurança de uma empresa que tem conexões globais, respeita padrões internacionais de segurança e ainda é auditada pela CAEP-USA.

E não para aqui. A CAEP conta com uma equipe altamente qualifica e com experiência em agronegócio, inclusive com agrônomos na equipe de desenho técnico dos roteiros como acompanhando os grupo! Esse é o padrão CAEP  sua disposição!

Agora só falta você decidi preparar suas malas para embarcar com a CAEP para o My Farm Experience, e viver essa experiência completa, técnica de de lazer, no meio-oeste americano.

Estamos prontos para te atender, converse com nossos especialistas clicando aqui!

A CAEP transforma vidas com Lúcio Guimarães!

Hoje temos o prazer de apresentar o Lúcio Guimarães, que há 15 anos foi nosso intercambista e hoje é um Diretor de uma grande rede de maquinários. Temos muito orgulho em ter participado da história inspiradora de transformação de vida do Lúcio que manteve contato conosco e nos permitiu acompanhar seu crescimento.

Mas vamos deixar que ele mesmo nos conte sobre a sua história de transformação!

1- Lúcio conte para os leitores da CAEP News, onde você estagiou e em que ano?

Inicialmente fui para a Califórnia, na cidade de Lodi onde me estagiei em uma propriedade produtora de Leite no sistema Intensivo. Na época era mais de 1300 vacas em lactação. Posteriormente me mudei para o Texas, na cidade de Houston onde por um curto período estagiei em uma Propriedade produtora de hortaliças orgânicas.

E por último mudei para o estado de Winsconsi na cidade de Green Bay, nesta região estagiei em uma GreenHouse de produção de flores. Todo o meu estágio aconteceu entre julho de 2005 a junho de 2006.

2 – Qual era a sua expectativa antes de você ir?

Meu primeiro contato com a CAEP ocorreu no início do ano de 2005 na qual eu e mais 3 amigos estávamos empolgados com a ideia de ir fazer um estágio fora do País, porém ao mesmo tempo, estávamos desconfiados, pois, pensávamos que não iríamos conseguir o visto americano. Me lembro como se fosse hoje, nos preenchendo a ficha de inscrição e pensando sobre como seria os desafios da comunicação. Dias depois da inscrição a CAEP entrou em contato para fazer um teste de Inglês e foi aí que descobrir que não sabia nada. Fui orientado a procurar um intensivo e assim fizemos. Após uns 4 a 5 meses da nossa inscrição fui contatado pela CAEP e para minha surpresa e ao mesmo tempo desespero, chegava o grande dia. Na semana seguinte já teria a entrevista para o visto e na próxima semana eu já estaria embarcado para os EUA. Na época eu tinha 22 anos de idade e a cidade mais longe que já havia morado, ficava a uns 300 km da casa de meus pais! Neste momento, o meu sentimento era de felicidade e medo. Felicidade, pelo sonho que estava se realizando. Medo, do desconhecido.

3 – Qual o impacto que a CAEP impulsionou de melhora na sua vida, após o intercâmbio e onde trabalha hoje em dia?

Acredito que os impactos em minha vida foram primeiro a maturidade e a definição da área de atuação em meu retorno ao Brasil.

4 – Gostaríamos de ouvir um pequeno depoimento seu, Lúcio!

Desde que eu retornei ao Brasil eu decidi investir meus esforços na carreira de Máquinas Agrícolas, este caminho eu segui pelos meus últimos anos de faculdade e quando me formei, foi neste caminho que eu quis ir buscar trabalho. Na época eu me ingressei em uma Concessionária de Máquinas Agrícolas onde depois de algum tempo migrei para uma Multinacional Fabricante de Máquinas Agrícolas. Hoje novamente em um Concessionário de Máquinas sou Diretor de Vendas responsável por liderar uma equipe na qual a mais de 4 anos e líder na região que atuamos.  Não tenho dúvidas que graças ao meu estágio proporcionado pela CAEP hoje cheguei a onde estou. Sei que batalhei muito por isso é fiz as escolhas certa na hora certa.

Histórias como a do Lúcio nos inspiram a continuar nossa missão de ampliar a educação internacional no Brasil. Agradecemos ao Lúcio essa valiosa contribuição

A CAEP transforma vidas: bate papo com Paulo Lima!

Neste mês, convidamos para bater um papo conosco  um cliente muito especial! O Paulo Lima, gestor da empresa Rumo Agro, que já viajou conosco algumas vezes e que acredita muito no potencial das viagens técnicas para alavancar os negócios e fortalecer o relacionamento com os clientes.

1- Oi Paulo, qual é a sua função na Rumo Agro?
Meu nome é Paulo Lima, tenho 52 anos e sou Engenheiro Agrônomo, formado na UFPR, há quase 30 anos. Tenho este mesmo tempo de trabalho no MT, na área de comercialização de Insumos Agrícolas (Distribuição). Atualmente na RUMO.Agro, sou Sócio-diretor, atuando principalmente como responsável pelas áreas administrativas e financeiras da empresa, junto com o meu time deste setor. Nossa revenda tem atuação na região do PARECIS e Vale do Arinos – MT. Trabalhamos a mais de 10 anos com foco em excelência, na distribuição de insumos e na prestação de serviços ao produtor. Representamos ótimos fornecedores de Defensivos, Sementes (Milho e Soja), Fertilizantes e Nutrição de Plantas.

2-Nossa primeira pergunta: Você está sentindo falta das viagens técnicas internacionais?
Com certeza. Todos nós, que valorizamos muito o relacionamento interpessoal e a busca por conhecimento / inovações em outras regiões do mundo, estamos sentindo muita falta. Porém, acreditamos que estamos próximos de retomar estas atividades.

3-Na sua visão, as viagens técnicas ajudam a alavancar seus negócios junto aos clientes? Como?
Penso que, as estas viagens possibilitam estreitarmos muito mais as relações entre os profissionais da revenda e os produtores. Visto que, passamos vários dias viajando e vivendo situações inéditas. E isto, pode sim, se transformar em negócios, dependendo das oportunidades que venham a surgir. Mas, sem dúvida, facilita o acesso.

4-Esta sessão chama-se Transformando Vidas, nossa pergunta é: Quando você leva clientes para adquirir conhecimento técnico no exterior, eles voltam com as vidas transformadas?
O comportamento muda sim. Pois, a vivência, principalmente para aqueles que nunca foram e/ou que viajaram pouco até então, é transformadora. Em função da amplitude da visão e das experiências trocadas. Inclusive, com as outras pessoas do grupo, que pertencem a outras regiões do nosso estado / país. Ficando inclusive, uma amizade entre os participantes.

5-E na sua vida enquanto profissional do Agro? Quais foram as transformações que a viagens de conhecimento te proporcionaram?
Como tive a grata oportunidade de participar de algumas viagens, alguns pontos se tornaram relevantes para mim, como por exemplo, o interesse em aprofundar o conhecimento da língua estrangeira e as diferentes localidades que conheci. Podendo retornar em outros momentos com a minha família, para desfrutar e proporcionar novas experiências para as pessoas do nosso convívio.

6-Você já chegou a fechar negócios ou parcerias durante uma viagem com clientes?
Sim. Isto já aconteceu, naturalmente. Inclusive, foi na última viagem com a CAEP para a Farm Progress Show – Chicago. Um dos produtores que estavam conosco precisou de um determinado produto, fechamos a negociação e de lá mesmo, organizamos com nossa equipe no Brasil para fazer toda à parte logística. E, quando ele chegou, o seu gerente já tinha aplicado o produto. Foi bem bacana poder atendê-lo com excelência.

7-Com base na sua experiência com as viagens de conhecimento, o que é mais valioso: as amizades que se formam nos grupos, a quantidade de informações aprendidas ou os negócios gerados após o retorno?
Acredito que as relações desenvolvidas numa oportunidade como esta, são verdadeiras e duradouras. O restante são consequências! E claro, o conhecimento adquirido é único e muito valioso.

8-Qual viagem com a CAEP mais te marcou? Por que?
Acredito que foi a última que realizamos. Pois, além da feira, visitamos produtores estratégicos, que estavam bem abertos e repassaram bastante informação. Também por ter sido muito bem organizada, em termos de voos, acomodações e transfers.

9-Te convidamos a deixar aqui um breve depoimento sobre sua experiência com a CAEP, ou um recado aos gestores do agro que lerão essa matéria no CAEP News.
Na minha opinião, a CAEP se tornou uma referência em viabilizar roteiros que sejam produtivos e seguros para seus clientes. Tem uma equipe profissional e capacitada em todas as etapas da viagem. Por isso, não só, somos parceiros de longa data, como também, recomendo os serviços da empresa.

A CAEP transforma vidas!

A história deste mês é da Paola Jurca Grígolli, uma ex intercambista CAEP, que hoje trabalha na avaliação de fazenda para diversas finalidades. Vem conferir o que ela disse sobre a experiência transformadora do intercâmbio!

1- Onde você estagiou (cidade, estado, que cultura) e em que ano, Paola?

Fui trainee na cidade de Valley City, estado de Dakota do Norte, onde fiquei durante todo o ano de 2011. Desde o início meu objetivo era trabalhar em uma fazenda de grãos e, mesmo sabendo que o processo era um pouco mais complexo, consegui! Na fazenda trabalhei com soja, milho, trigo, alfafa e pecuária (black angus).

2- Qual era a sua expectativa antes de ir?

No segundo de faculdade iniciei meu estágio em máquinas e mecanização agrícola e escolhi trabalhar com grandes culturas, mais especificamente com integração lavoura-pecuária. No último ano do curso de agronomia, surgiu a oportunidade de ir para os Estados Unidos e trabalhar em uma propriedade que mesclava todas as áreas que eu mais tinha afinidade, não perdi tempo!

Minha maior expectativa era utilizar a fazenda como um grande laboratório, como uma extensão da universidade. Isso porque eu ainda não era formada e tinha muito a aprender. Queria colocar em prática tudo o que tinha visto e, ao mesmo tempo, aprender sobre as tecnologias dos americanos, o modo que eles trabalhavam, a cultura local, aperfeiçoar meu inglês, turistar…. enfim, sair um ano do meu pai para uma verdadeira imersão no desconhecido. Eu fui sabendo que esta “aventura” poderia abrir muitas portas no mercado de trabalho. E consegui ir além da minha percepção como estudante, consegui!!!!

3- Qual o impacto que a CAEP impulsionou de melhora na sua vida? E onde trabalha hoje?

Quando voltei dos Estados Unidos sabia que eu não era mais a mesma menina que tinha deixado o Brasil. Muitas coisas mudaram dentro de mim. Felizmente nasci em uma família com certa condição financeira e, até então nunca tinha trabalhado.

Após retomar meu último semestre na faculdade, a primeira coisa que fiz foi procurar emprego, mas algo que eu pudesse conciliar com meus estudos, teria que ser no período noturno. Consegui uma vaga de garçonete em um bom restaurante na cidade (Ilha Solteira) e que recebia, na época, muitos estrangeiros que vieram para a região para a instalação de uma grande indústria papeleira.

Isso foi algo que aprendi com os americanos, em outras palavras, mesmo tendo um bom padrão de vida, eles trabalham e estudam, não têm tempo ocioso. Além disso, todos os lugares que frequentei, enquanto estive lá nos EUA, era extremamente bem recebida, com funcionários alegres e sempre dispostos a oferecer o melhor. E esta era minha conduta!

Foi também no restaurante, que através de uma colega da zootecnia, conheci a Scot Consultoria e que estava com vagas abertas para estagiários, com possibilidade de contratação. Finalizando o curso e antes mesmo da graduação, consegui a vaga. ‘Tempos depois descobri que o critério de desempate foi a minha fluência em inglês.

Inicialmente trabalhei como analista de mercado, sendo responsável pelos mercados de arroz, cana-de- açúcar, pecuária e tradução de textos, além da produção de boletins e informativos e etc.

Com a cabeça mais aberta, depois da minha vivência nos EUA, passei pela divisão de Avaliações de Imóveis Rurais da Scot, fiquei encantada! Na faculdade não tivemos nenhuma matéria sobre este campo da carreira, mas a Scot me proporcionou todos os meios que foram precisos para que eu pudesse aprender, estudar e me especializar no assunto.

Entrei para a equipe da Scot em 2012 e permaneci com eles até 2019, quando me retirei da empresa e abri minha a própria (Lobema Avaliações e Perícias Rurais). Desde de então, a Scot Consultoria e o senhor Alcídes Torres (proprietário) mantemos uma relação de parceria, confiança e muita amizade.

Junto a isso, também contribuo na administração da propriedade rural da família, onde temos cana, grãos e pecuária. Com todos os novos projetos em andamento, implantamos, cada vez mais, a integração lavoura-pecuária.

4 – Como você resume a sua experiência do Intercâmbio Agrícola?

Participar do CAEP foi a melhor decisão como estudante. Desde o primeiro contato, até meu retorno ao Brasil tive todo respaldo necessário. A equipe do programa estava sempre antenada com o que estava acontecendo, se eu estava conseguindo me adaptar e como estava indo minha rotina. Além disso, a família que me recebeu estava sempre atenta às minhas necessidades e a minha segurança, seja no trabalho ou quando saía de folga.

Meu maior desafio, com certeza, foi com o idioma, mas sem esquecer da dificuldade que foi para mim trabalhar em campo com temperaturas tão baixas (neve/nevasca). Embora eu tenha estudado inglês desde pequena, quando cheguei lá, sozinha e única funcionária na fazenda e sem nenhum brasileiro trabalhando por perto, senti que não seria fácil.

Algumas vezes pensei em desistir, meu chefe não me entendia e eu não conseguia dizer o que queria, mas eu queria muita estar ali! Do meu jeito estabeleci um “código de conduta” com meu patrão, então, teríamos que seguir três passos: primeiro ele fazia o serviço e eu só ficava olhando; na segunda vez ele fazia o serviço me explicando e eu só olhando e na terceira vez eu executava o trabalho, tentando explicar…

A meu pedido, fui para uma fazenda onde só teria eu de trainee, sem brasileiros, justamente para sair da minha zona de conforto, praticar a língua e viver o famoso American Way of life. No entanto, todos os domingos que conversava com minha família, meu chefe dizia: “ontem você falou com sua mãe, seu inglês está péssimo!!!!” hahahaha Por apenas três meses tive outro companheiro de trabalho, mas era alemão e mais uma vez surgiu o problema da comunicação, mas conseguimos……

Isso contribuiu para que, aos poucos, eu fosse me adaptando e perdendo o medo de falar a língua. Além disso, pedi para que meu chefe e sua família corrigissem meus erros quando falava. Em pouco tempo já tinha pegado o jeito!

Hoje, eu e meu ex patrão norte americano ainda mantemos contato e isso me deixa muito feliz!

Que história!! Paola, adoramos a sua participação aqui no nosso blog, obrigada!
Para a CAEP é um grande orgulho saber que participamos da sua trajetória de vida e profissional, desejamos ainda mais sucesso a você!

E para você que está lendo essa história de inspiração e transformação de vida, saiba que você também pode viver esse sonho, fale agora com nossos especialistas clicando aqui!

5 dicas valiosas de network no Agro

Se tem algo que não é uma novidade é que nosso agro é tão valioso quando as dimensões do nosso Brasil.
Bem por isso, estabelecer uma rede de contatos, o famoso network em inglês, é um caminho certeiro não só para quem quer ampliar suas conexões mas se beneficiar com isso!
E se a CAEP entende bem de conexão, de agro, de rede de contato e de eficiência, nós também podemos te ajudar com isso!

Hoje separamos 5 dicas valiosas para você ampliar, de forma efetiva, seu network!

1️⃣ Participe de Eventos do Agro!
Estar onde todas as empresas conceituadas e seus profissionais estão é fator chave para ampliar seus pontos de contato. O calendário de eventos agro no Brasil é riquíssimo, de eventos bem segmentados a grandes feiras multisetoriais, há opção para todos.
E isso não se alterou nos últimos tempos, tem muito evento bom e digital acontecendo! Informe-se!
PS:Estamos sempre divulgando por aqui essas oportunidades, fique atento!

2️⃣ Inscreva-se em fóruns e congressos!
Um grande fator de diferenciação de um profissional é a sua capacidade de conexão de assuntos, amplie seu repertório e ainda conheça profissionais super capacitados
tecnicamente que expõe seus trabalhados nesses formatos de eventos.

3️⃣ Participe de grupos de discussão!
Aqui a possibilidade são vastas: existem grupo específicos de discussão em todas as redes sociais.
Aliás, de quais você participa?? Compartilhe nos comentários.

4️⃣ Faça visitas técnicas!
Ah disso a CAEP entende! Fazer uma visa guiada em uma propriedade, fábrica, empresa que tem recursos de alta tecnologia e conhecer na fonte as informações mais atualizadas do mercado não tem preço! Informe-se sobre as Viagens e Visitas Técnicas disponíveis na CAEP.

5️⃣ Conecte-se com a CAEP!
Já percebeu né? A CAEP é um grande conector de empresas-produtores-universidades! Não perca tempo, siga a CAEP nas redes profissionais também! O link para o nosso LinkedIn está na bio!

CAEP, conecte-se aos campos do mundo!
(Pra valer e no padrão CAEP!)

Chicago: um destino com mil e uma possibilidades!

Chicago é o destino ideal para quem deseja fazer intercâmbio de estudo ou uma viagem técnica empresarial, afinal, a cidade une conhecimento, lazer e muitas descobertas surpreendentes. Conhecida como Windy City ou “Cidades dos ventos”, Chicago está localizada às margens do gigantesco lago Michigan e conquista a todos com as suas belas paisagens e modernos arranha-céus, como o Willis Tower.

Educação em Chicago é coisa séria! Não podemos esquecer das renomadas instituições de ensino, como a Universidade de Illinois Chicago (UIC), uma instituição pública de pesquisa de alto nível. A Northwest University, onde fica a Kellogg School of Management, renomada na área de gestão.

Por lá você também encontrará ótimos restaurantes, música nas ruas e belíssimos parques como o Grant Park, onde você pode passear, sentir a brisa fresca nos dias de primavera e conferir de perto uma das maiores fontes do mundo, a famosa Buckingham Fountain, inspirada no lago Michigan. E tem mais um ponto turístico que não pode faltar no seu roteiro: o Millennium Park! Localizado dentro do Grand Park, o local abriga diversas flores, plantas e a Cloud Gate, também conhecida como “The Bean”, a incrível escultura metálica espelhada que lembra o formato de um feijão, feita pelo artista plástico Anish Kapoor. Prepare-se para tirar muitas fotos por lá, hein?!

Quando o assunto é museus, teatros e galerias, Chicago também não decepciona! Inclua no seu roteiro uma visita ao complexo cultural Museum Campus, onde também estão localizadas as atrações Shedd Aquarium e o Field Museum. Gosta de ciências naturais? Anote este nome: Adler Planetarium! Este é um museu público em Chicago dedicado ao estudo da astronomia e da astrofísica.

Vai viajar a negócios? Então, antes de embarcar saiba mais sobre o CME Group (Bolsa de Chicago), a empresa que é responsável pelas seguintes bolsas: Chicago Mercantile Exchange (CME), New York Mercantile Exchange (NYMEX), Chicago Board of Trade (CBOT), Commodities Exchange (COMEX).  A CBOT, é uma das bolsas de futuros e opções mais antigas do mundo, criada em 1848 e onde as commoditties são comercializadas, não só agrícolas, mas metais e energia também. E a CME atua como a B3 aqui no Brasil, além de administrar a Bolsa de Valores de São Paulo também oferece cursos e eventos educacionais para quem tem interesse em conhecer um pouco mais sobre essa parte de negociação e investimentos.

Já pensou em morar em Chicago, aprender inglês e ainda conseguir assistir a palestras ou cursos da CME? A nossa escola de inglês parceira, está localizada bem na Michigan Av. bem no centro da cidade, pertinho dos parques e dos museus. A escola oferece os cursos de inglês geral, de inglês para negócios e aulas particulares, sem contar as aulas eletivas que contribuem para o aluno desenvolver outras habilidades, como conduzir uma reunião em inglês, montar currículo, fazer apresentação, participar de debates e muito mais, atividades que ajudam a desenvolver o idioma em situações reais.

E tem muito mais, viu?! Um texto só não é suficiente para descrever a diversidade cultural da cidade mais populosa do estado de Illinois. Leu as nossas dicas, ficou curioso e encantado com tantas possibilidades? Entre em contato com os especialistas da CAEP! Nós cuidaremos de todos os detalhes da sua viagem. E garantimos: vale o planejamento e investimento!

A Caep vai te levar para Farm Progress Show 2021! Calma, que ainda é virtual!

MY FARM EXPERIENCE, um produto exclusivo da CAEP, uma experiência disponível para você!
 
AO VIVO, dia 01 de setembro, às 13 horas.
 
Há 12 anos a CAEP, líder em viagens técnicas, embarca grupos para visitação a Farm Progress Show. Um roteiro customizado, aprovado e com 100% de satisfação dos clientes que neste ano você poderá gratuitamente vivenciar.
 
O que você precisa saber?
 
Sobre FARM PROGRESS SHOW
 

Farm Progress Show é a maior feira dinâmica de tecnologia agrícola no mundo, com 800 acres de área de demonstrações de campo, com equipamentos de semeadura, cultivo, colheita e agricultura de precisão, operando lado a lado. Setor de sementes com destaques das novidades em genética e proteção de culturas.

Em exposição sempre estão grandes fabricantes de equipamentos, sementes e defensivos agrícolas, instituições de ensino. É uma grande oportunidade para conferir as novidades de todos os segmentos da agricultura e pecuária, principalmente no que diz respeito à tecnologia, que sempre surpreende os visitantes da feira.

 A edição de 2021 da Farm Progress Show acontecerá entre os dias 31 de agosto e 02 de setembro, em Decatur, Illinois. Neste ano, a maior feira dinâmica dos Estados Unidos, apresenta novidades de empresas nacionais e internacionais relacionadas aos setores de Máquinas Agrícolas, Agricultura, Exposição de Animais e muito mais!
 
E o que é o MY FARM EXPERIENCE?
 
O My Farm Experience proporciona uma grande experiência para aqueles que desejam conhecer o modelo de agronegócio mais forte do mundo, que é o meio-oeste dos Estados Unidos, conhecido também como “Corn Belt” ou cinturão do milho. Ao longo do roteiro, é possível conhecer organizações de base que trabalham nos EUA para melhorar e fortalecer a vida dos americanos rurais e para construir comunidades agrícolas fortes e prósperas. Você poderá desenvolver o seu conhecimento e receber insights para a inovação do seu negócio no Brasil.
 
Em 2021, a CAEP te conecta com a FARM PROGRESS SHOW e com CHICAGO.
MY FARM EXPERIENCE 2021 apresentaremos uma resenha comentada sobre tudo o que aconteceu nesta importante feira americana, a FARM PROGRESS SHOW 2021 que volta a ser presencial.
 
Quando: 01 de Setembro
Horário: 13 horas
Duração : 2 horas
Ingresso: GRATUITO! Uma oferta da CAEP para você!
 
Confira a programação do My Farm Experience 2021
 
Um Talking Show apresentará as novidades de maquinários em lançamento por lá, detalhes da organização deste ano com a volta do evento presencial mas ainda em meio a todo o cenário Global da pandemia, e outros detalhes
 
O Talking Show será conduzido por Flávio Salvadego, Diretor Geral da CAEP e receberá convidados:
 
Prof. Aluízio Borém (UFV)

 Agrônomo e professor pela Universidade Federal de Viçosa Ph.D. em Genética e Melhoramento pela University of Minnesota. Dedica-se a pesquisas em melhoramento de soja e feijão. Contribuiu no desenvolvimento de seis variedades de soja, que ocuparam grande área de cultivo no cerrado brasileiro.

Tema: falaremos sobre a agricultura americana e o seu manejo de lavoura e tecnologias empregadas, em soja e milho.
 
 
  
 
Tarso Veloso
Tarso Veloso é brasileiro, formado em jornalismo e trabalha desde 2014 AgResource em Chicago, EUA responsável pela análise e evolução dos preços agrícolas da Bolsa CBOT, é autor de relatórios diários de mercado de commodities e orientação de gerenciamento de risco e hedge com clientes agro no Brasil e EUA. Já trabalhou como repórter de agronegócio, economia e política no Canal Rural e Valor Econômico.
 
Tema: diretamente de Chicago, sobre o mercado de commodities dos EUA e o cenário global.
 
 
 
+ “city tour” em Chicago, comentado pelo Flavio e Prof. Borém.
 
Como participar?
 
Basta reservar sua agenda! E entrar para o grupo de Telegram da CAEP, canal exclusivo para o My Farm Experience 2021, para receber o link da transmissão ao vivo.
 

Entrevista no Agro, como mandar bem?

Já faz 20 anos que o nosso time de especialistas da CAEP Brasil entrevista os jovens do AGRO do Brasil todo que estão à procura de capacitação Internacional! Parte do processo de seleção para o tão sonhado Intercâmbio Agrícola é passar por uma entrevista conosco! Nessa entrevista avaliamos o inglês, requisito importante para quem quer ir estagiar fora, mas mais do que isso, também analisamos o perfil dos candidatos que são aptos a participar dessa experiência de morar em outro país.

Fatores como flexibilidade, responsabilidade, maturidade e espírito aventureiro são importantes requisitos para que um jovem se dê bem ao se deparar com o mundo lá fora! Por isso, quando ele passa pela entrevista conosco, além de analisarmos essas questões, nós orientamos de forma individual a como lidar com as mudanças que estão prestes a acontecer, e como se preparar para tudo isso.

É por essa experiência que temos nesses processos seletivos e orientação especializadas que hoje vamos falar um pouco sobre como se preparar para as entrevistas no AGRO. O que é importante?

Juntamente com a psicóloga Ana Soares, nossa especialista em processos seletivos para posições técnicas, estratégicas, executivas e programas de estágios e trainee em todo o Brasil, pensamos em 4 dicas importantes para você, na hora de passar por uma entrevista no AGRO!

Iniciativa: É o ato de tomar a frente de alguma tarefa, solução ou projeto. Por ser um comportamento tão importante na vida profissional, demostrar essa característica na entrevista traz segurança ao processo. Fale de suas experiências! Não tenha vergonha de fazer perguntas sobre suas possíveis dúvidas, de demonstrar interesse pela vaga e pela empresa, pesquisando antecipadamente para obter informações que possam se desenvolver durante o tempo da entrevista.

Disponibilidade: Mostre-se disponível para o momento da entrevista! Esse fator também demostra o interesse que você tem pela vaga, e pode ser um fator decisivo no momento de decisão.

Postura: A linguagem corporal conta muito num processo seletivo. Por isso, fique atento à questões como horário, nunca atrase! Roupas, que estejam de acordo com seu perfil, com o cargo que está sendo oferecido e que se sinta confortável.

Comprometimento no processo seletivo: O comprometimento com o processo já indica o grau de comprometimento do profissional e sua habilidade de conexão. Por isso, participe de forma responsável dos processos, respondendo ao entrevistador.

Nosso website guarda cookies de estatísticas de visitas para sempre melhorar sua experiência de navegação. E, ao navegar, você concorda com essas condições.

Open chat
Como te ajudamos hoje?
Fale com um Especialista CAEP.