Commodities Brasileiras: Milho

Última atualização: 16/02/2024Por

Quando se trata de herança, o Brasil é cheio delas. Literatura, música, política, trejeitos, vocabulário próprio de cada região do país, são muitas. Aposto que você com certeza colocou o milho no meio dessa lista, não?

 

Se não colocou, pode colocar, pois o milho é mais antigo que, até mesmo, os portugueses. Se você quiser saber mais, continue lendo para compreender a origem do milho no país, os impactos que esse grão tem no Brasil, bem como dados recentes sobre sua produção.

 

Mais Velho que o Brasil

 

O milho, bem como dito anteriormente, é muito mais velho que a própria nomeação do Brasil. Nem mesmo a descoberta dos portugueses, em 1500, apaga o legado que o milho já tinha nas terras brasileiras, sendo plantado pelos índios guaranis.

 

Na época, os indígenas tinham o cereal como principal ingrediente de sua dieta, e seu plantio era feito por um sistema de rotação que integrava diversas espécies de acordo com seu uso. Posteriormente, os próprios índios optaram por plantar apenas uma única espécie.

 

Contudo, com a chegada dos portugueses, a cultura do milho se expandiu exponencialmente, uma vez que não só o consumo dos grãos aumentou, mas também a criatividade e o uso dele em diversos outros tipos de produtos, que foram incorporados de pouco em pouco tempo a alimentação da população.

 

Mil e Uma Utilidades

 

O milho é um dos principais grãos de base para a produção de diversos produtos. Alguns dos mais conhecidos no mercado – e derivados do grão – são as farinhas, óleos, adoçantes, macarrão, biscoitos e outros tipos de mantimentos processados e vendidos diretamente ao consumidor final.

 

Porém, é preciso dizer que a grande maioria dos grãos de milho do mundo são destinados a servir como base alimentar de aves, suínos e bovinos, que o comem como ração. Apenas uma pequena parcela é consumida in natura ou utilizada na produção dos produtos processados da alimentação humana.

 

Além de uma gama enorme de subprodutos derivados dele, o milho tem papel fundamental na rotação de culturas pois produz uma grande quantidade de palha, que auxilia na proteção do solo e no incremento de matéria orgânica para o mesmo.

 

Combustível Ecológico

 

O milho também serve para a produção de Etanol – biocombustível – que auxilia na manutenção das políticas de sustentabilidade e oferece uma alternativa para outros tipos de combustíveis utilizados hoje.

 

O principal produtor desse tipo de Etanol, em nível global, são os norte-americanos. A projeção de produção dos Estados Unidos da América entre 2018 e 2023 – segundo dados da International Energy Agency (IEA) – terá um crescimento progressivo de 2% ao ano, chegando de 104 bilhões de litros (2017) até 119 bilhões de litros (2023).

 

A pesquisa ainda afirma que alguns mercados em expansão, como Índia e Tailândia seguirão em ritmo acelerado juntamente com a China, enquanto o Brasil liderará os mercados em crescimento até 2023.

 

Milho em Números

 

A indústria brasileira do milho, com estimativas para safra de 2018/2019, terá uma produção total de 94 milhões de toneladas, segundo dados disponibilizados pelo Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento.

 

O Brasil ainda perde por uma ampla margem para os Estados Unidos da América (EUA), que está estimado a produzir, no mesmo período de 2018/2019, cerca de 366 milhões de toneladas do grão.

 

Contudo, o resultado já era esperado, visto que há anos, o país permanece como terceiro maior produtos de milho do mundo, perdendo para os Estados Unidos da América (EUA) e para a China.

NOTÍCIAS RELACIONADAS