Aprenda os aspectos principais do mercado

Última atualização: 16/02/2024Por

As commodities são tratadas como produtos de importância elevada, e sua comercialização recebe uma atenção ímpar, por mexerem com um assunto prioritário na vida econômica e social de qualquer país do globo: a segurança alimentar de seus habitantes.

 

Para que essas commodities cheguem à mesa das pessoas e possam ser consumidas, ou transformadas em subprodutos – estes com certo grau de industrialização e processamento – elas precisam circular, e é para isso que servem os mercados de commodities.

 

Com isso, alguns assuntos que vamos abordar são:

 

  • Os conceitos de Mercado de Commodities
  • Exemplos dos principais mercados de Commodities
  • A importância da existência desse mercado

Mercado de Commodities

 

Como você já deve bem saber, as commodities são produtos que não possuem marca, ou seja, não tem diferenciação, o que acarreta em um menor valor agregado – como descrito no primeiro texto da nossa série, que você confere aqui – o que gera um determinado comportamento dentro do mercado em que este tipo de bem é comercializado.

 

Na prática isso gera uma característica única no mercado de commodities, que é a elevada gama de compradores e vendedores desses insumos o que, por sua vez, influencia no estabelecimento dos preços.

 

A oferta e a demanda, agregadas a massiva quantidade da produção dessas commodities, tornam os mercados globais, e para que esse mercado continue íntegro ao seu propósito principal – a venda e compra de commodities a preços justos e com averiguada credibilidade – esses valores são definidos internacionalmente.

 

Oferta e Demanda: Influência Global

 

Através desse preço base, é possível ter mais duas características do mercado de commodities que são muito importantes para seu entendimento.

 

A primeira é que, ao contrário de muitos outros produtos, as empresas que participam desse mercado têm que aceitar os preços dados pelo mercado, uma vez que a definição deles é feita de forma internacional, sem o toque de uma ou outra entidade apenas.

 

O que leva a segunda característica, que é a influência limitada, politicamente falando, de cada país ou empresa que possui pouco ou até mesmo nenhum poder de negociação sobre as cotações de diferentes tipos de commodities.

 

Com isso, a determinação dessas cotações internacionais facilitaram em larga escala, a possibilidade de negociação destas mercadorias nas chamadas bolsas – locais físicos que trabalham com prospecção desses produtos – para a realização dessas vendas.

 

Bolsas: Onde é feita toda a Negociação

 

Você já deve ter ouvido falar em noticiários: “Bolsa fecha em queda e dólar sobe 0,61%…”. No caso, a bolsa mencionada é a Bolsa de Valores – famosa em vários filmes recentes como “Lobo de Wall Street” – e com mais de séculos de história no manejo das negociações de bens.

 

Quando o assunto são commodities, elas são comercializadas nas bolsas de mercados futuros, que basicamente lida com derivativos agrícolas, ativos financeiros e contratos para compra e venda desses produtos.

 

A Importância do Mercado de Commodities

 

Então, o que todos esses pontos dizem sobre o mercado, no final das contas, é como é maciço e volátil ao mesmo tempo. A grande importância das commodities é a geração de emprego, a geração de lucro e a movimentação monetária que ela acarreta, bem como o crescimento direto de nações.

 

Apenas no Brasil, no ano de 2019 – com a exportação e importação dentro do agronegócio, por exemplo – estima-se de acordo com dados colhidos de relatórios disponibilizados pelo Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, que o país já tenha exportado mais de US$ 13,8 Bilhões de dólares, enquanto que a importação se estabelece em, pelo menos, US$ 2,4 Bilhões de dólares.

 

Esses são apenas os números até março deste ano, quando o relatório foi lançado, indicando uma balança comercial favorável até então. O agronegócio, durante todo o ano de 2018 – ainda de acordo com o mesmo relatório citado – foi responsável por 21,1% de todo o Produto Interno Bruto (PIB), o que representa mais de R$ 1.433 Bilhão de reais, ou seja, um trilhão, quatrocentos e trinta e três bilhões de reais.

 

Todos esses dados, representam apenas uma pequena ponta do grande mercado do agronegócio, e as commodities – principal produto de exportação brasileiro – fazem uma grande diferença nesses percentuais, pois em 2018 a soja, óleos brutos de petróleo, minério de ferro, complexo carnes, celulose, açúcar e café sozinhos representaram o equivalente US$ 120,3 bilhões de dólares, o que forma 50,2% do total exportado.

 

NOTÍCIAS RELACIONADAS