Recordar é viver – Bye 2019 / Welcome 2020

Uffa, 2019 está chegando ao fim! Um ano intenso, de muitas viagens e experiências marcantes, de destinos inéditos e também de novas parcerias no AGRO. Parece que passou voando e já deixou saudades!

Por isso, não poderíamos deixar passar em branco uma retrospectiva de alguns momentos especiais que tivemos com nossos clientes e parceiros mundo afora. Afinal, recordar é viver! Tivemos a visita Farm Show e ao cinturão do milho e soja nos Estados Unidos, a Agrithecnica na Alemanha, a FecoAgro que foi até a Nova Zelândia em busca de novidades e conhecimento e os nossos intercambistas trabalhando nos campos americanos, holandeses e aprendendo inglês no Canadá, Estados Unidos, Austrália. Quantas experiências marcantes, hein?!

Que o Agronegócio continue conectando os campos do mundo e a todos nós. Vem com tudo, 2020!! Estamos ansiosos para continuar ressignificando o conceito de viagens e proporcionando experiências que ficarão sempre guardadas na memória!

Um tour pelas experiências CAEP!

Há quase 50 anos, a CAEP vem promovendo conhecimento no Agronegócio, por meio de viagens técnicas e intercâmbio! Nacional e internacionalmente, oferecemos experiências personalizadas para que profissionais do setor enriqueçam sua vivência pessoal e profissional.

Nós já estamos no aquecimento para os embarques do próximo ano. Muitas viagens incríveis estão por vir! Te convidamos a fazer um tour pelas modalidades de experiências que oferecemos. É impossível não se encantar por alguma delas!                      

  • Viagem Técnica Empresarial: visite as maiores e renomadas feiras do setor, em conjunto com tours em fazendas e fábricas conceituadas e roteiros de lazer personalizados. Uma oportunidade de inovar no AGRO, conhecendo técnicas agricultáveis praticadas no mundo e ampliando networking.
  • Viagem Educacional Executiva: aprimore seu conhecimento em Universidades reconhecidas mundialmente, por meio de um programa desenvolvido para cada área de atuação do AGRO.
  • Viagem Educacional de Formatura: conheça tudo o que foi visto na Universidade em uma viagem nacional ou internacional no AGRO. Pode ser elaborada em qualquer semestre do curso de ciências agrárias, totalmente customizada para a turma formanda.
  • Intercâmbio Agrícola: vivencie na prática uma experiência internacional impactante, melhorando o currículo e capacidade profissional do jovem estudante. São diversas opções de destinos, áreas de atuação e tempo de duração do programa.
  • Intercâmbio de Estudos: explore o destino dos sonhos, estudando uma nova língua em Escolas no Exterior, Universidades, Programas de Imersão e de Férias. Oferecemos acomodação em residências estudantis ou casas de família. Os locais são selecionados de acordo com o interesse do estudante.

Escolha a modalidade de viagem conforme o seu momento e embarque com a gente para uma experiência transformadora. 2020 promete!!

Canadá: um destino e diversos pontos positivos

Há quem diga que o Canadá é um dos destinos queridinhos dos brasileiros quando o assunto é intercâmbio de estudos.  Os pontos positivos ficam por conta da qualidade de vida; localização do país; tipos e duração dos cursos oferecidos; tipos de acomodação; dólar canadense mais barato que o dólar americano; população multicultural; e instituições de ensino de ponta.

Entretanto, cá entre nós do mundo Agro, o que nos interessa mesmo é o fato de que a agricultura canadense é uma das MAIORES CONTRIBUIÇÕES para a economia do país e lidera como o QUINTO maior exportador mundial de produtos agrícolas, tais como linhaça, canola, leguminosas, trigo duro, ervilha, lentilha e mostarda. Isso mesmo, o QUINTO!!

Não bastando, imagina que a cada oito empregos canadenses um é relacionado com a indústria agrícola; e para cada agrônomo formado há três empregos disponíveis? Pois é, o destino bomba quando o assunto é grãos e emprega 40.000 pessoas somente no estado de Ontário. É um recorde impressionante de criação de empregos, avanço tecnológico e sustentabilidade ambiental!

E como não poderíamos ficar de fora deste destino tão cobiçado, a CAEP proporciona duas experiências superinteressantes: os cursos de idiomas e o Farmstay. Os cursos de idiomas são dedicados para as pessoas que desejam aprender ou aperfeiçoar o inglês ou francês (já que no estado de Quebec é a língua que predomina). Já o programa Farmstay, além da possibilidade de estudar inglês, fala-se também a língua do agronegócio: uma imersão em uma fazenda para vivenciar o cotidiano de uma família tipicamente do campo e realizar as atividades de rotina geral.

Neste país tipicamente frio, o que não vai faltar é frio na barriga para embarcar em uma experiência de conhecimento e imersão ao agro! Quer saber mais? Fale com a gente clicando aqui.

EPISÓDIO 2: INTERCÂMBIO AGRÍCOLA

Hey, comunidade Caep!! Temos hoje no blog o segundo episódio do “bate-bola jogo rápido” mais esclarecedor do mundo AGRO que você vai conhecer nessa rede online! Respondemos as perguntas mais recorrentes sobre intercâmbio agrícola, de uma forma bem ligeira! É pá pum!

1. Quais os países de destino disponíveis atualmente?

Estados Unidos, Holanda e Nova Zelândia.

Israel também está disponível, mas o programa é voluntário.

2. O intercâmbio agrícola é um programa remunerado?

Sim, exceto para o destino Israel.

3. Quais são os requisitos para participar de um programa de intercâmbio agrícola?

Idade, experiência prática na área de interesse e inglês.

4. Quais as opções de áreas disponíveis atualmente?

Estados Unidos: Enologia; Floricultura; Viveiros; Apicultura; Equinos; Fruticultura; Olericultura; Gado de Corte; Gado de Leite; Suínos; Grãos.

Holanda: Floricultura; Fruticultura; Gado de Leite; Olericultura; Viveiros.

Nova Zelândia: Gado de Leite

Israel: Kibbutz

5. Com qual idade posso me candidatar?

Estados Unidos: entre 19 e 28 anos

Holanda: entre 19 e 28 anos

Nova Zelândia: entre 19 e 30 anos

Israel: entre 19 e 35 anos

6. Tem período específico para se aplicar e iniciar o programa?

A depender do país de destino e da área escolhida.

7. Quanto tempo dura o programa?

Estados Unidos: mínimo 4 meses e máximo 1 ano;

Holanda: mínimo 3 meses e máximo 6 meses;

Nova Zelândia: mínimo 6 meses e máximo 1 ano;

Israel: mínimo 2 e máximo 6 meses.

8. A hospedagem é na própria fazenda que trabalho?

Sim

9. Qual o nível de inglês necessário para me candidatar?

Nível intermediário, capaz de compreender e conversar em inglês (lembre-se que as instruções do trabalho serão passadas em inglês). Para Israel: inglês ou espanhol básico.

10. O que a CAEP faz?

Resolve toda a burocracia desta viagem para você e cuida dos mínimos detalhes, como emissão do visto e documentos, em conjunto com os melhores parceiros internacionais, para que sua experiência seja incrível. Te orientamos para que você faça a melhor escolha de programa, curso, país e período, auxiliando em todas as etapas, inclusive compra de passagem aérea e demais detalhes personalizados especialmente para você.

Quer entrar em campo e bater esta bola com a gente? Entre em contato clicando aqui.

Pelos olhos de nossos intercambistas…

Quem acompanhou as notícias nestes últimos dias viu que as lavouras de grãos nos Estados Unidos foram afetadas por uma tempestade de neve. Vários estados como Minnesota, Dakota do Norte, Montana, Iowa e Wisconsin tiveram seus campos transformados em uma paisagem branca, postergando ou interrompendo a colheita.

Nós da CAEP viemos te mostrar toda esta situação sob a perspectiva de nossos intercambistas, que estão vivenciando este momento ao vivo e a cores junto com os produtores de alimentos. Gustavo Philippsen, Ramon Dijkstra e Carlos Zuanazzi, alunos do nosso programa de intercâmbio agrícola, vestiram a camisa de fotógrafos por um dia e nos mostraram em detalhes as consequências que a nevasca provocou nos campos agrícolas em que estão trabalhando.

 

*Gustavo Philippsen no município de Buchanan, Dakota do Norte. Intercâmbio em fazenda de lavoura de soja.

*Ramon Dijkstra no município de Windsor, Dakota do Norte. Intercâmbio em fazenda de lavoura de soja.

 Na saúde e na doença, na plantação e na colheita, na estiagem e na nevasca, no previsível e no imprevisível, os alunos vivenciam a experiência real e o dia a dia das fazendas no exterior. Programas como este dos nossos alunos possuem duração de 4 a 12 meses e, como podemos perceber, trazem uma bagagem de conhecimento incrível tanto para o lado profissional como para o pessoal.

Não tem tempo ruim quando o assunto é vivenciar experiências no mundo AGRO! Até em situações indesejáveis e surpreendentes é possível agregar no aprendizado técnico agrícola.

EPISÓDIO 1: INTERCÂMBIO DE ESTUDO

Hey, comunidade Caep!! Estreamos hoje no blog o “bate-bola jogo rápido” mais esclarecedor do mundo AGRO que você vai conhecer nessa rede online! Respondemos as 10 perguntas mais recorrentes sobre intercâmbio de estudos, de uma forma bem ligeira! É pá pum!

 

1. Quais são as modalidades de intercâmbio de estudos?

São quatro diferentes:

  • Cursos de idiomas;
  • Estudo + trabalho;
  • Farmstay;
  • Imersão na Universidade.

 

2. Qual o país de destino?

Conforme a sua preferência.

 

3. Com qual idade posso me candidatar?

Depende da modalidade de intercâmbio e do país escolhidos.

 

4. Tem período específico para iniciar o programa?

Sem restrição: curso de idiomas e estudo + trabalho

Com restrição: Farmstay (entre fevereiro e julho) e imersão na universidade (julho)

 

5. Quanto tempo antes preciso aplicar para o programa?

  • Cursos de idiomas: no mínimo um mês antes da data de início, mas pode variar de acordo com o país escolhido;
  • Estudo + trabalho: no mínimo quatro meses antes a data de início desejada;
  • Farmstay: no mínimo quatro meses antes a data de início desejada;
  • Imersão na Universidade: o quanto antes, pois as vagas são limitadas e podem esgotar a qualquer momento.

 

6. Quanto tempo dura um curso?

Depende do programa, mas no mínimo duas semanas.

Período máximo: um ano com possibilidade de extensão, dependendo do país e do programa.

 

7. Onde me hospedar?

Acomodação em residência estudantil ou casa de família, conforme sua preferência.

 

8. Qual o nível de inglês necessário para me candidatar?

Sem restrição: cursos de idiomas e estudo + trabalho.

A partir do nível básico: imersão na universidade.

A partir do nível intermediário: Farmstay.

 

9. Na modalidade de estudo + trabalho ou Farmstay é possível ser remunerado?

Remunerado: Estudo + trabalho, caso o estudante encontre um emprego. Os empregos são informais e não no setor agrícola.

Não remunerado: Farmstay.

 

10. O que a CAEP faz?

Resolve toda a burocracia desta viagem para você e cuida dos mínimos detalhes, em conjunto com os melhores parceiros internacionais, para que sua experiência seja incrível. Te orientamos para que você faça a melhor escolha de programa, curso, país e período, auxiliando em todas as etapas, inclusive compra de passagem aérea; contratação de seguro viagem e demais detalhes personalizados especialmente para você.

 

Quer entrar em campo e bater esta bola com a gente? Entre em contato clicando AQUI.

O que um bom candidato deve ter?

Viajar para fora, conhecer os campos do mundo e aprender com os melhores. Isso pode estar ao seu alcance! Você sabe o que um bom candidato deve ter para participar do intercâmbio agrícola?

 

O primeiro passo é preencher 3 requisitos: boa comunicação em inglês, experiência prática na área de interesse e estar na idade certa para o programa.

 

Todos os requisitos são pensados para garantir que seu intercâmbio seja incrível e que a fazenda esteja com as mãos em um profissional que dará conta do serviço.

 

#1 Inglês: A partir do momento que vai tirar o visto, o inglês é necessário, por isso e preciso ter boa comunicação. Afinal, não há tempo e nem chance para não entender o que o fazendeiro está falando. Você não poderá checar um dicionário enquanto dirige uma colheitadeira, não é?

 

Como Conseguir: É possível buscar esse nível de inglês com professores particulares, escolas, ou fazendo cursos online: falando nisso, já ouviu falar do inglês agro?

 

#2 Nível de Experiência Prática: O fazendeiro te receberá e pagará pelo seus serviço. Parte da produção dele estará em suas mãos. Ou seja, é preciso que o candidato tenha um bom nível prático na área, tanto para greenhouses como grãos.

 

Como Conseguir: Coloque a mão na massa! O fazendeiro precisa saber que você entende que trabalhará no campo. Aproveite suas horas livres para correr atrás dessa experiência. Procure propriedades rurais na região, veja com conhecidos ou mesmo trabalhe na fazenda da família.

 

#3 Idade: A idade certa para o intercâmbio é de 19 a 28 anos, pela possibilidade de obtenção de visto para o país que o candidato esteja planejando viajar.

 

Quanto mais conhecimento desses requisitos acima, mais bem ranqueado se estará. Assim, suas chances de ser selecionado pelos fazendeiros aumentam!

 

“Não foi fácil deixar minha família, amigos e tudo que eu conhecia, para seguir rumo ao desconhecido. Mas foi transformador! No fim, ficou claro para mim que a experiência que eu tive era de um valor incalculável. E uma descoberta assim só é possível, quando nos abrimos para o novo”, completa Ana Gabriela, ex-trainee intercâmbio agrícola.

 

Farmstay – Experiência une estudo e trabalho!

Já se imaginou falando outro idioma e de quebra conseguir ficar em uma fazenda para aprender a rotina de uma propriedade e vivenciar os campos do mundo?

 

Isso é possível com o programa Farmstay, que nada mais é que moradia na fazenda. Farm = fazenda, Stay = permanecer. É um programa em que você melhora o seu inglês, aprendendo expressões e vocabulário agrícola, enquanto vive na propriedade e acompanha a família durante as atividades da propriedade.

 

Gostou? Continue a leitura e saiba mais sobre o programa e seus destinos!

 

O Programa – Cursos e trabalho no exterior preparam para o mercado

 

O Farmstay é um programa de imersão no Canadá ou na Nova Zelândia. O programa é dividido em duas fases:

 

1º Fase – Você vai estudar inglês em uma escola parceira da CAEP e morar com uma família local. O curso é de inglês geral, então você vai aprender gramática, melhorar a fala e a escuta.

 

2º Fase – Após melhorar a sua comunicação em inglês, o programa continua na propriedade rural. Nesta fase você irá morar e participar da rotina da família. As atividades são diversas, entre elas estão: cuidados dos animais, manutenção geral e tudo que fizer parte da rotina da família.

 

“Estudar o idioma vem primeiro, para que o aluno possa aprimorar seu inglês, antes de colocar a mão na massa. Depois, é a parte prática, na qual ele troca experiências com uma família local e mora na propriedade rural”, comenta Roberto Nobrega, consultor do programa Farmstay na CAEP Brasil.

 

É preciso ser proativo e flexível para aprender e se adaptar a uma nova rotina, além de ser responsável, já que a família está te recebendo espontaneamente, com o intuito da troca cultural.

 

“Faço de tudo, desde alimentar os animais, pilotar as máquinas, colheita, preparo, plantio, fenação, horta, cortar madeira e até butcher eu sou aqui! Ajudo na manutenção das máquinas e implementos, que não são poucos!”, comenta Adriano Tsutida, que já participou do programa Farmstay no Canadá.

 

Quer conhecer mais sobre o programa Farmstay? Clique aqui e descubra tudo que você precisa para embarcar nessa aventura no exterior!

WHAT TIME IS IT? IT’S SUMMER TIME!

A CAEP USA (Communicating for Agriculture Education Program), realizou nesse final de semana (19 a 21/07), o CAEPFEST em Ashby, localizada na região do cinturão agrícola americano, Minnesota.

 

O festival, já em sua oitava edição, foi criado com intuito de dar aquele break na temporada e aproveitar para os intercambistas se conhecerem, se encontrarem, se divertirem e sair um pouco da rotina.

 

Repleto de atividades esportivas, gincanas culturais, e muita troca de ideais entre pessoas de todos os cantos do mundo, o final de semana contou com 170 jovens de 22 países. Desses, 30 eram our brazilians.

“O CAEPFEST foi uma verdadeira demonstração de nossa missão de conectar o mundo através da agricultura, assim como trainees passaram o final de semana aprendendo sobre a cultura local, estreitando relacionamentos e fazendo amizades para a vida toda com seus semelhantes de todos os cantos do mundo e com os membros da comunidade local”, explica a CAEP USA.

 

Flavio Salvadego e Priscilla Braile, diretores da CAEP Brasil, estiveram presentes e comentaram sobre o evento: “É gratificante estar presente e poder unir o time CAEP. A essência é oferecer ao jovem do AGRO uma experiência internacional  e conectar os CAEP’S de todas as partes do mundo”.

 

Mas porque em julho? Pois é a época em que os jovens se encontram mais tranquilos antes de recomeçarem a colheita, as vendas, a correria no geral. Os hosts já ficam sabendo do festival e dão o day-off para os jovens.

 

Passar 8 meses longe de casa e longe dos amigos, é muito difícil, a gente sabe. Morar em uma casa com 3 pessoas, cada uma de um canto diferente, não é a mesma coisa de estar com aqueles que de alguma forma ‘nos entendem’.

 

Muitos hosts têm o seu período para ‘liberar’ o intercambista para um break, mas as vezes as datas não batem. É aí que o CAEP fest é importante para reencontrar aquele amigo que está lá no ‘Dakotão’ e o outro que está em Ohio.

 

Mas porque participar? Pois é um final de semana voltado para os jovens intercambistas. Começando na sexta feira, todos se encontram na fazenda Milt Smedsrud, aonde acontecerá o festival. Aí que começa a diversão! Cada um montando sua barraca, com direitos a bebidas, comidas, brincadeiras, shows, desfiles, tudo.

E o mais legal é poder juntar essa galera toda, de vários cantos do mundo, e ver eles aprendendo outras línguas, a cultura do outro, se interagindo, fazendo as danças típicas de cada país, encontrando amigos, que no final, pode ter certeza, ao ir embora no domingo, você estará relaxado e ready to finish the season!

Tem interesse no Intercâmbio Agrícola? Inscreva-se para a próxima Season (embarques de Janeiro a Abril). Saiba mais!

Grãos, Pedro e a vontade de alimentar o mundo

Já imaginou estar em um avião, com todos speaking English e embarcando para aquele sonho que você sempre teve de fazer um intercâmbio agrícola?  Pois é. Venha embarcar nessa experiencia que Pedro contou em uma pequena entrevista para a CAEP.

Pedro Ernesto se formou em um colégio técnico agrícola antes de embarcar. Ele já tinha experiencia com maquinários e o inglês, ou seja, ele era the right guy!

“Viver a essência do agricultor americano […] foi realmente muito valida a experiencia, além do inglês, tive muita vivência de maquinário, tratos culturais em soja e milho. Fiz de tudo um pouco, de pilotar a maior colhedora de grãos do mundo na época, até trocar pneu de caminhão, foi uma experiencia completa!”, lembra Pedro.

 

O intercâmbio agrícola abriu caminhos para o Pedro. Durante os 10 meses que esteve presente nos Estados Unidos, aperfeiçoou a língua inglesa, fez amizades com os hosts, trabalhou, aprendeu, viveu e concluiu com êxito. Hoje, Pedro inicia uma nova jornada pela FENDT, fabricante alemão de tratores e máquinas agrícolas.

“O fato de ter tido essa experiencia, acabou abrindo muitas portas por onde eu fui passando, pois vejo que essa experiencia tanto cultural quanto de trabalho, é de grande valia para todas as empresas e pessoas. Conhecer pessoas e lugares abrem a nossa cabeça e nos tornam mais preparados para as diferentes realidades que possamos enfrentar no dia a dia.”, explica Pedro.

E aí, deu aquele frio na espinha de quero também? Faça igual ele e não perca a oportunidade de dar um “UP” no seu currículo, inscreva-se já na próxima season!